Pesquisar neste blogue

A carregar...

terça-feira, 30 de Junho de 2009

QUALIDADE DE VIDA - EQUIPAMENTOS DE DESPORTO

Algures num dos post's anteriores sobre a qualidade de vida neste Condado, foi abordada a questão da falta de equipamentos de lazer e desportivos para os jovens deste concelho e também na própria vila (há bairros com mais condições que este condado). Estando as actividades, diga-se obrigatórias, mais ou menos garantidas, tem-se conseguido ao longo dos anos disponibilizar estes equipamentos (todos pertencentes a escolas) para actividades desportivas federadas e amadoras. No entanto já há algum tempo esta realidade transmite muita precariedade, estando os horarios dos poucos equipamentos repletos ou então interditos ou inacessiveis especialmente se imaginarmos meia de duzia de miudos com 10 a 12 anos a querer jogar á bola............Pois o leitor deve estar a pensar o memso que eu, não tem aonde!!!!!!! Ainda poderiam fazer como o Ronaldo e por quatro pedras no meio da rua, se calhar era mesmo isso que deveria começar a acontecer em vez de jogarem á bola por ex. no meio dos equipamentos infantis e mandarem umas boladas num miudo de 4 ou 5 anos e mandare-no para o hospital. Ainda não aconteceu? não sei como............

Não vale a pena enumerar aqui os equipamentos existentes e aonde pois são tão poucos que todos os conhecemos, e por incrivel que pareça esta é das poucas informações que consegue obter rapidamente no site da CM Castro Daire. De qualquer das formas no final deixo o quadro aí existente para mais facil consulta.
Fiquei bastante satisfeito ao ler o boletim municipal recente onde vem noticiado a realização de 9 polidesportivos no concelho: Fojo, Mezio, Monteiras, Pereira, Parada de Ester, Savariz, Castro Daire, Mões e Lamas. Antes de analisar o quer que seja relativo a estas escolhas (não é relevante para já), considerei uma oferta demasiado boa, tendo em conta o pouco investimento que a camara tem feito, e principalmente nesta área. Quando li esta noticia associei a uma outra que tinha lido anteriormente em Viseu e sobre a qual ainda não tinha tido tempo para averiguar pois já nessa altura pretendia abordar o tema, referente a construção de mini campos desportivos em zonas referenciadas por diversas carências e possiveis sinais de investimento por todo o país. Numa parceria Federação Portuguesa de Futebol e suas associações regionais e o Instituto de Desporto de Portugal e usando uma verba a rondar os 2,5 milhões de euros, se não estou em erro, à qual se associou o BES teriam já sido construidos numa 1ª fase 100 mini campos desportivos e estava lançada uma 2ª fase para construção de mais 100. Após alguma "coscuvilhice" o que aqui o condado sabe é que para a zona Centro foram aprovadas 34 candidaturas (não conseguimos saber quais se candidataram), para a construção de Mini-Campos polivalentes, com as dimensões aproximadas de 22x12 m2, revestidos a relva sintética, equipados com balizas de futebol/andebol, tabelas de basquetebol, tabelas e balaustradas de cercadura/protecção em estrutura de aço ou madeira, tratados para uso ao ar livre. Depois de muita informação lida conseguimos saber quais os municipios que tinham ganho a candidatura,
em Viseu apenas 5 e nenhum era de Castro Daire. Confrontando esta informação com aquilo que anuncia a camara mais baralhados ficamos uma vez que a camara fala em Polidesportivos.
Resumindo:
1º Este 9 polidesportivos fazem parte desta 2ª fase da medida 4 para construção de mini campos desportivos por todo país, parceria FPF e IND?
2º Se sim, não deveria a camara explicar que vai conseguir construir este campos desta forma e não fazer disto uma autentica "campanha"?
3ºSe não, não deveria de qualquer das formas a camara explicar como vai construir estes polidesportivos, verbas e motivos que levaram á escolha dos locais, uma vez que na medida 4 estes requisitos são especificados?
4ºSe não, a camara de Castro Daire não aproveitou esta medida e não concorreu a construção de um ou mais mini campos da medida 4?
5º Se não, a camara candidatou-se a esta medida e o projecto foi recusado, mesmo sendo uma zona carenciada e apresentando grandes focos de iniciativa desportiva, qual foi a razão da recusa?

Certamente ao leitor surgirão ainda mais duvidas, que o condado espera que sejam esclarecidas brevemente. Agora com estas duvidas e dispondo dos dados existentes e não sabendo quais os requisitos que tiveram em conta para a escolha dos locais, aplicamos os nossos que foram o maior nº de habitantes a servir (não consideramos a idade supondo que é um equipamento que poderá servir a toda a população), os equipamentos aí existentes (ou seja a área menos servida de equipamentos). Os locais coincidem bastante com os anunciados pela camara se bem que o de Savariz deveria ter tido em conta melhor localização uma vez que Pinheiro e Reriz tem um grande numero de habitantes; não percebemos porque não foi escolhida a zona de Alva, talvez nas próprias Termas do Carvalhal, tendo em conta o nº habitantes e desenvolvimento equilibrado daquela zona, em desfavorecimento de Mões servido bem demais em comparação com o resto do concelho, Pereira deveria ser trocado com Cabril, zona com o dobro de população e zona mais afastada do concelho; deveria ter sido considerado Castro Daire como hipótese para mais que um polidesportivo apresentando grande carência em meios para o numero de habitantes e eventos realizados, não havendo possibilidade para construção de mais, deria ter sido ponderado o sacrificio do polidesportivo de Lamas (com polidesportivo na Moita), ou então Fojo apesar de grande nº de habitantes.

No ãmbito dos equipamentos desportivos, mas possivelmente fora desta matéria de servir as populações terá é de ser equacionado a construção de um polidesportivo afecto á escola primária de Castro Daire com grande numero de crianças a praticar as aulas de ginastica agora obrigatorias e sem as minimas condições para o fazer, nem mesmo balnearios............

Deixamos então alguns dados para análise do leitor,


1 comentários:

POC disse...

Creio que estamos neste momento a viver um momento de euforia com este tipo de estruturas, semelhante ao que se viveu há umas décadas com os campos de futebol de 11, os quais estão na sua maioria ao abandono e sem qualquer rentabilidade visível... Parece-me que o destino de ambas as ondas de euforia será semelhante. Estas obras poderiam e deveriam ser apoiadas pelas câmaras, mas a sociedade civil (que existe, embora adormecida) deveria ir mais longe e pensar no que realmente os seus habitantes precisam... Porque é que se construiram tantos "pavilhões" e sedes de associações, que poderiam ter esta vertente desportiva associada, e que acabaram apenas para servir de palco para bailaricos? E porque é que as câmaras os apoiaram?

Tanta coisa falta que não creio que o lançamento de tanto polidesportivo seja sensato! E as outras modalidades desportivas? Porque é que o Paiva ainda não tem infra-estruturas de apoio às actividades que nele podem ser desenvolvidas? Porque é que não existem mais campos de Ténis, com aulas para crianças?